terça-feira, 10 de outubro de 2017

A Festa dos Sentimentos

o meu coração pergunta:
- "tem espaço aí?"
alguém aqui de dentro responde bem alto:
- "pode entrar!"
e chegam os medos
que convidam as angústias
que avisam às verdades
que não quererem aparecer

nessa festa de sentimentos, o meu coração me pergunta mais uma vez:
- "tem espaço?"
- "pode entrar", responde o alguém aqui de dentro
e chega a compreensão
que convida o perdão
que avisa a fé
que não quer aparecer

mais tarde, o cansaço bate
e o coração insiste:
- "tem espaço?"
aquele mesmo alguém responde:
- "chegou quem faltava"
então chega o amor próprio
que convida a sensatez
que avisa à calma
que faz questão de aparecer.

os convidados essenciais
finalmente chegaram

pena que não podem mais ficar
precisam ir embora.


segunda-feira, 3 de julho de 2017

(re)começo

o recomeço é pra quem tem coragem
se acha o limite pro sofrimento
se abre a janela pra felicidade

o recomeço é pra quem tem certeza
às vezes ela demora
mas o coração continua implorando leveza

o recomeço é pra quem tem vontade
há quem não queira
e continua sem a verdade

o recomeço é pra quem se ama
pra quem consegue entender que ser feliz não é o destino
e sim o trilho por onde se anda

o recomeço é carregar o que é só seu, de mais ninguém
é trocar os sapatos
e ir além.


eu mereço
os recomeços.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

A Empatia Racional

Vai que às vezes você não sabia que a empatia pode ser comandada pelo seu cérebro? A empatia emocional, quando você reconhece as emoções do outro e se identifica, é quando, sem pensar, se compreende a dor, a tristeza, a solidão, a felicidade do outro. Fácil? Não muito. Mas tem algo que com certeza é bem mais difícil: a empatia racional. Isso, ela também pode ser cognitiva, você consegue se identificar com o outro pela experiência de reconhecer pensamentos, intenções. Uma vez tava lendo sobre a Teoria da Mente, que nada mais é do que o pressuposto que os outros possuem uma mente (né?) e que através da introspecção cada um de nós pode conhecer nossos pensamentos e, através da empatia, conhecer os dos outros - já que não podemos entrar na cabeça do amiguinho (só o Mel Gibson) - e realizar que, olha, eles podem ser diferentes.

Por que será que perceber e reconhecer os estados mentais do outro - desejos, intenções, pensamentos, crenças - é tão difícil? Por que será que nos colocar no lugar da outra pessoa, estabelecer a compreensão, perdoar, não perdoar, entender que deve desculpas, que ele faria de outro jeito, perceber que tudo na vida tem dois lados quando se trata de relacionamentos no geral? O outro é diferente, afinal, não tem a mesma mente que você, e nem que a minha. Não passou pelos mesmos caminhos, não respirou as mesmas culturas, não desenhou as mesmas cicatrizes. Ainda bem. Só a sua introspecção não vai ter levar a nenhum lugar além do seu próprio mundo. Que é legal, é maneiro, é necessário. Mas é pela falta do exercício de empatia que amizades se desfazem, relacionamentos se destroem, pessoas são hostilizadas pelas suas escolhas, cores, crenças, modos de encarar os fatos, formas de levar a vida.

Por mais empatia racional, por menos egoísmo emocional.

terça-feira, 28 de março de 2017

o mesmo poema

de que adianta o pedestal
se quem desce sou eu?

de que adianta a luz
se quem eu ilumino não é meu?

de que adianta o elogio
se o que eu ouço é "não deu"?

de que adianta libertar
se o caminho me perdeu?

e de que adianta o amor
se só em uma curva se esqueceu?


domingo, 10 de julho de 2016

A Plenitude

O pleno é paradoxo constante. Enquanto ele é simples, também é vasto. Ele é imenso e calmo, e é na imensidão que encontramos também a liberdade. A plenitude é tão grande, mas tão grande, que chega a ser de uma cor só. Sua beleza é confortável. Quando ela te envolve, é serenidade. É felicidade.

Pleno, pra mim, é quando você olha algo e o enxerga por inteiro, sem interferência de qualquer pensamento. Nada passa pela sua cabeça no momento em que você olha aquilo. Você admira. Pensa sobre o que vê como se não fosse acabar. E o que vem depois? Sei lá. Tô aqui.

Pode estar o mundo caindo, mas o que os seus olhos veem são o retrato do que acontece bem ali na sua frente. E nada mais importa, por enquanto. A plenitude te dá a oportunidade de sentir-se inteiro.

É olhar o mar e as ondas e ver mar e ondas. E não mar, ondas, ontem, o que vai ser, o que eu fiz. Só mar e ondas.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Tem um lugar

Tem um lugar
Ele não tem nome
Pode ter endereço

É perto do coração
Rente aos olhos
É onde volto pro começo.

Tem um lugar
Ele não é tangível
Pode ser realidade

É perto da minha mente
Passa pelo meu peito
E me lembra da verdade.

segunda-feira, 7 de março de 2016

Quando Vinicius está certo

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida."
Uma das frases mais certeiras que já li - e já vivi.

Posso dizer que é tão incrível quando a vida me proporciona encontros com pessoas que não têm nenhuma relação entre elas, mas que juntas - e ao mesmo tempo separadas - possuem o sublime poder de transformar minha caminhada. Elas podem tocar a minha intuição e fazê-la despertar, assim como acordar as minhas certezas. Pessoas essas que vão de amigos até aquele desconhecido sentado na mesma mesa de bar.

Quando o momento certo, a hora certa e as pessoas certas acontecem, é festa de sinergia. E não há presente melhor que a vida pode dar pra quem deve merecer esse tipo de luz e de clareza pra sua alma. Eu acredito tanto na energia das pessoas que é como se a vida pra mim fosse um gigante quebra cabeça de emoções. Aprendo cada vez mais que prestar atenção delicada ao que o outro te fala pode ter um valor que não se encontra em nenhuma missa ou mensagem de filme ou livro de auto ajuda.

Obrigada a todos os amigos, conhecidos e mentores que me ajudam a montar as partes mais difíceis do meu quebra cabeça. O momento é viver.